Buscar
  • Rafaela Valente

Cool hunters: marketing de inovação no mercado imobiliário





Na última semana, falei um pouco sobre o processo de inovação da Urbanoria para lançamentos imobiliários em uma palestra na Semana Acadêmica da Faculdade Senac em Pelotas, e percebi que tudo o que apresentei gerava uma tremenda curiosidade de como seria possível executar.


Nós somos Cool hunters - mas, e o que é isso?


São profissionais que se dedicam a observação das pessoas e do mundo, com o objetivo de definir novas tendências, baseando-se na análise de comportamento delas. Com isso, é possível inovar dentro de um nicho específico. No nosso caso - no mercado imobiliário


Pensando em um modelo mais prático de, tudo isso é muito legal, mas como faço?

Coloco aqui 10 dicas para entender um pouco deste processo:


1. Estratégia

Ter um plano, um método para identificar as oportunidades é fundamental para desenvolver sua alma Cool Hunter.


2. Empatia

É impossível gerar conexão com as pessoas, criar experiências que façam sentido, sem ver, sem pensar e sem se enxergar no lugar do outro. O teu consumidor não gosta das mesmas coisas que você. O que ele acha bonito, para você pode ser feio. E por aí vai..


3. Curiosidade

Estar atento a tudo. Baixar o julgamento. Saber ouvir. Perceber oportunidades no que ninguém está vendo.


4. Análise de comportamento

Perceber o que o público alvo está fazendo, é a chave para identificar os próximos passos. São as pessoas que irão nos indicar a estratégia ideal e não, o nosso desejo.


5. Senso crítico

Olhar para o todo e saber questionar o que realmente é importante para o processo todo. Identificar as boas oportunidades e deixar de lado o que não vai trazer resultados.


6. Sensibilidade

Este item conversa muito com a empatia, mas ele vem sozinho, devido a importância que ele tem no processo. Quando falamos de mercado imobiliário - falamos do principal bem de consumo das pessoas - um imóvel. Pensar no significado que isso tem para elas, na forma que essa família irá usufruir - conectar com memórias e afetos. Tudo isso, nos permite vender mais do que metro quadrado.


7. Criação

Esta é a etapa que muitos travam. A criação é um momento de entrega, de se expor. De colocar na mesa aquela ideia que estamos com medo da reação. Esse é o medo que temos de não atender as expectativas dos outros. Nesta hora é importante deixar a coisa acontecer. Se desligar dos outros e se abrir!


8. Experimentação

Já transitando em uma parte mais prática - experimentar é essencial. Não temos uma receita de bolo, quando o assunto é inovação. Estamos falando sobre pessoas. O comportamento muda, os desejos mudam e com isso, as experiências para gerar impacto, precisam mudar. Apostar em novos caminhos e arriscar se faz necessário.


9. Se antecipar

Observar todas as tendências, perceber aonde o consumidor está indo e fazer antes de todo mundo. Chegar aonde só você chegou, este é um desafio diário.


Para poder dizer: Ninguém e nós chegamos aqui.


10. Perceber o erro como oportunidade

Nem tudo que dá errado, está totalmente errado. Muitas vezes aquele erro, nos faz repensar o caminho e planejar um novo, que será muito melhor. Esteja aberto ao erro e saiba perceber o que ele traz de aprendizado.



----


E aí, gostou do assunto? Deixe nos comentários suas contribuições, elas podem ser alvo de mais um post por aqui! :)

57 visualizações
  • Grey Instagram Ícone
  • Grey Facebook Icon
  • Grey LinkedIn Icon